Carregando...

Publicado em 20 de fevereiro de 2019

RESUMO DO PLANO DE GESTÃO AMBIENTAL-PGA

A gestão ambiental vem ganhando importância nas instituições privadas, fazendo parte do sistema de gestão global e tendo o apoio da Alta Direção de cada organização.

A Usina São José do Pinheiro utiliza uma ferramenta de gestão ambiental importante no dia a dia, o Plano de Gestão Ambiental (PGA). Este plano contempla uma série de recomendações que servem como base para o gerenciamento dos possíveis impactos ambientais gerados pela organização. Sendo extremamente útil no acompanhamento ambiental, permitindo que melhores práticas sejam aplicadas e assegurada a sua interligação com os indicadores para o monitoramento das atividades.

A Gestão Ambiental é, assim, para a Usina São José do Pinheiro, uma questão estratégica, na medida em que, além de contribuir para a conservação do meio ambiente e, consequentemente, da natureza e da biodiversidade, concorre também para reduzir os custos diretos (água, energia, matérias-primas e demais insumos) e indiretos (multas e passivos por danos ambientais).

A utilização de subprodutos, ao invés de seus descartes, tem sido uma das principais estratégias para o aumento da sustentabilidade da produção agroindustrial.

O monitoramento ambiental permite, com a colaboração de todos os setores e através da adoção de medidas preventivas e corretivas, que impactos sejam minimizados e que situações de risco sejam evitadas.

A Usina São José do Pinheiro evidencia em seu Plano de Gestão Ambiental – PGA ações ambientais que estão correlacionados com as seguintes macroquestões ambientais: Ecossistema, Biodiversidade, Solo, Água, Ar, Mudanças Climáticas, Uso de Agroquímicos, Uso de Fertilizantes Artificiais, Queimada de Cana e Resíduos.

Um resumo das ações ambientais:

  1. Instalação de placas em locais estratégicos proibindo a caça e o desmatamento (Ecossistema);
  2. Realização de rondas florestais com o objetivo de identificar situações que podem causar algum impacto ambiental (Biodiversidade);
  3. Mapeamento dos principais pontos de erosão (Solo);
  4. Realização de análises internas de potabilidade ao menos 02 vezes por mês (água);
  5. Utilizar combustível menos poluente em sua frota (Ar);
  6. Aumentou em mais de 3% a colheita mecanizada em relação a safra 16/17, diminuindo o impacto da queima dos canaviais (Mudanças Climáticas);
  7. Construiu Depósito adequado para o correto armazenamento dos defensivos agrícolas (Uso de Agroquímicos);
  8. Reduziu mais que 25% a quantidade do adubo 13-05-18 nas áreas de socaria (Uso de Fertilizantes Artificiais);
  9. Realiza a queima de cana nos horários de temperatura mais amena (Queima de Cana);
  10. Encaminha para reciclagem 80% das categorias de resíduos do item 5.5.3 da calculadora do BONSUCRO (Resíduos).